ÚLTIMA HORA

CEMITÉRIO DE GRIJO EM HASTA PUBLICA

Resolvemos redigir aqui este artigo, pese embora, e com toda a franqueza, este

seja um assunto que não dominamos por completo. Mesmo assim e porque se trata de um  local sagrado e onde todos um dia terminaremos, não resistimos a dar aqui a nossa opinião.

No final do artigo está um documento que o executivo da Junta fez chegar aos membros da Assembleia, mas cuja complexidade abafa a verdadeira essência dos objetivos.

O que vai acontecer no cemitério de Grijó, poderá constituir uma verdadeira revolução na planta existente e que resultará em novos jazigos, cuja venda fará render alguns milhares de euros ao executivo. Ora como sempre se defendeu que os proveitos daquele espaço deveriam reverter em prol da dignificação do mesmo, estamos muito descrentes de que esta situação venha a acontecer.

Não sabemos muito bem, antes pelo contrário muito mal, quais os espaços a disponibilizar, porquê esses e não outros, objetivos e interesses que se movem por detrás de tudo isto, talvez por ignorância, não nos cuata admitir, mas este assunto está pouco ou nada transparente.

A nós choca-nos saber que existindo em Grijó alguns experts nestas matérias, ainda se não tenham feito ouvir, esclarecendo, denunciando, ou aprovando estas atitudes. Não vale tudo e neste espaço, só poderá valer o que realmente tiver valor, mas neste não se deve enquadrar nunca o valor monetário.

Claro que quem manda pode, mas pensamos que o executivo deveria marcar uma sessão publica de esclarecimento sobre este assunto, e se o não fizer acreditamos que o único e maior objetivo desta iniciativa reside na obtenção de mais de 80.000,00 euros com venda de espaços que poderão descaracterizar o cemitério na sua essência e prejudicar a zona comum(geral-valeira) que recolhia os restos mortais dos que não possuem espaços privados.

Haja bom senso, reflexão e análise sobre isto, consultem-se bem os regulamentos do cemitério e não se façam atropelos à lei. Ficaremos atentos, mas ficamos tristes, com o facto de vermos assuntos de uma importância extrema ser tratados de forma sutil e com leviandade que não se aceita nos tempos que correm.