ÚLTIMA HORA

25 DE MAIO A NOITE DA INDIGNAÇÃO

Foi em 25 de maio de 2010, que em Grijó, nesta

Terra de Gente democrata e boa, ocorreu um fato inédito na vida Política desde o 25 de Abril de 1974

Era uma noite como muitas outras, mas realizavas-se uma Assembleia de Freguesia, carregada de pontos de interesse e cuja discussão prometia ser acalorada e intensa.

Como se esperava os debates aqueceram, as divergências de opinião foram quentes e o executivo da Junta tinha um uma carta que pensava ser às de Ouros na mão, pensava pois no final verificou-se que esse às afinal saiu duque.

O executivo na altura chefiado pro Rogério Tavares muito bem acompanhado pelo seu secretário Sr. Rodrigo Filipe, que de contas nunca soube nada, de atas muito menos,  enfim uma carta fora do baralho, mas bem integrada no sistema,  e pelo seu Tesoureiro que era o braço esquerdo do presidente e ao que parece também direito , tomaram a estratégia de utilizar como defensora das suas incapacidades a assessora jurídica que se sentou no local reservado aos eleitos do executivo e à direita do Presidente.

Ora aqui surgiu o descontentamento de alguns Deputados que se manifestaram contra esta atitude, mas a grande oposição a esta falta de respeito para com os Grijoenses, surgiu de alguns democratas presentes na sala que não calaram a sua revolta e alta voz travaram a continuação da Assembleia, forçando a sua interrupção.

Perante isto foram chamadas as forças da ordem que só passado quase duas horas chegaram, sem saber muito bem o que se pretendia, lá identificaram alguns dos inconformados e destruíram algumas fotos dos acontecimentos, numa maquina nossa pertença, o que se lamenta, depois de passados tantos anos depois do fascismo.

Ficou esta noite na memória de muitos, e nós, não esquecemos nunca este acontecimento, que fica na historia da nossa Vila, de uma Vila que é grande , porque não dizer enorme, e que possui Homens e Mulheres capazes de dizer não, capazes de gritar nunca, capazes de se prejudicarem em defesa da verdade e da democracia.

Viva a Liberdade, dentro da legitimidade,  25 de Maio de 2010, fica para sempre como uma noite em que alguns queriam abafar o inconformismo, mas que não o conseguiram, porque a razão dá força à luta.

Francisco Borges