OPINIÃO

SEMPRE VALE A PENA.

Votos de utilizador:  / 0
FracoBom 

Começo por cumprimentar todos os que visitam este espaço de informação e de comentário.

 

Resolvi escrever este pequeno texto, para agradecer a todos os que através do facebook, ousaram comentar os últimos artigos editados pela Voz de Grijó. É para nós motivo de grande satisfação, ver que as Pessoas se interessam por estes assuntos e de forma livre exprimem os seus sentimentos, tais atitudes dão-nos animo e força para continuarmos a ser o único meio de os Grijoenses e Sermondenses saberem algumas coisas que ficariam escondidas caso a Voz de Grijó não existisse.

Compreendemos que estes assuntos aborreçam alguns, enervem outros , alegrem outros tantos, mas a Imprensa serve para isso mesmo, incomodar, abalar comodismos, despertar ideias e dar a conhecer situações que dizem respeito a todos.

Esse foi sempre, desde 2010 o nosso propósito e assim continuará a ser, porque sentimos que importa saber, importa que quem tem algum poder saiba que nada é eterno e que a base do sucesso está sempre na obtenção de consensos e da adoção de metodologias que sirvam as Pessoas, todas as Pessoas.

Lemos todos os comentários e queremos apenas dizer, que o importante é que se respeitem sempre as Pessoas, a sua dignidade enquanto seres nossos amigos e concidadãos. Importa sorrir sempre mesmo que este ou aquele comentário nos possa ferir e melindrar.

Vamos em frente, continuaremos a ser a Voz da informação, que os Grijoenses necessitam e os Sermondenses precisam. Em breve teremos aqui mais noticias, sobre assuntos que nos parecem importantes e que urge denunciar, com um propósito único que foi, é ,e será ,o de que os visados resolvam as situações.

Só uma ultima palavra para informar os mais nervosos e insatisfeitos com a existência da Voz de Grijó, para dizer que ainda não falamos sobre a Auditoria, dado que é um assunto demasiado importante, sério e que pode ter resultados imprevisíveis, pelo que nem nós, nem ninguém, sobre isto se deve pronunciar antes de o processo se tornar publico e ser discutido na Assembleia de Freguesia. Sabemos estar, temos responsabilidade e não atuamos por atuar.

Um abraço

Francisco Borges